Construído em 1520, pelo cardeal Thomas Wolsey que tinha como ideia inicial, um castelo onde pudesse receber não só o rei do Reino Unido, mas também monarcas do restante da Europa.

Logo no início, o local já chamou atenção do rei Henrique VIII que o transformou em casa.

Em 1530, o palácio era um hotel, um teatro e um grande complexo de lazer, usado por Henrique VIII para demonstrar seu poder de todas as formas possíveis: banquetes luxuosos, a vida extravagante na corte, obras de arte caras…

Apesar do palácio ser muito relacionado ao rei Henrique VIII e a dinastia Tudor, o local serviu de palco para grandes eventos da monarquia britânica até a metade dos anos 1700.

Shakespeare se apresentava ali, juntamente com sua companhia teatral. Algumas teorias dizem que duas de suas mais importantes peças, Hamlet e Macbeth, foram apresentada pela primeira vez no Hampton Court Palace ao rei Jaime I.

Aliás o rei Jaime usava o palácio para abrigar sua imensa coleção de artes.

Já o rei Charles II, mandou construir o canal chamado The Long Water, para chegada de sua noiva, Catarina de Bragança

O palácio como conhecemos hoje, foi um pedido do rei William III e da rainha Mary II que, quando assumiram a monarquia em 1689, pediram ao arquiteto Sir Christopher Wren uma renovação que elegante e barroca.

William III e Mary II também são os responsáveis pelos jardins que circundam o palácio, que possuem duas grandes atrações o Maze e o Vinhedo.

O Maze é um labirinto feito com cerca viva e é o mais famoso do tipo no mundo. Já o vinhedo conta com parreiras de séculos e séculos atrás que ainda produzem uva.

Durante a renovação pedida por William III e Mary II, Sir Christopher Wren incorporou ao palácio a Chocolate Kitchen – cozinha de chocolate, em tradução literal – especializada em criar delícias de chocolate, claro, para os reis e rainhas.

Na época o chocolate era uma novidade na Inglaterra e um luxo muito caro. Então, este novo anexo mostrava a riqueza, poder e modernidade dos novos monarcas.

Normalmente, o chocolate era consumido pelo rei e pela rainha pela manhã, no café da manhã, em forma de bebida.

Além da Chocolate Kitchen, a Cozinha Tudor é outra grande atração gastronômica da visita à Hampton Court.

Voltando à época de Henrique VIII, a cozinha do palácio se transformou em uma verdadeira cozinha industrial que chegava a servir 1600 refeições por dia.

Toda esta demanda era para attender as mais de 800 pessoas que sempre acompanhavam o rei.

Em 1737, o monarca George II não queria mais usar Hampton Court como um palácio real.

A solução encontrada, foi preencher o local com alguns residentes.

Estes residentes pertenciam à aristocracia e eram em maioria viúvas, que receberam acomodação gratuita em retorno dos serviços que seus maridos prestaram ao rei.

Este privilégio continuous ate 1960 e, apesar desta prática não existir mais, ainda restam alguns poucos moradores idosos que ainda vivem em Hampton Court Palace.

Desde que foi aberto ao público pela primeira vez, em 1838, pela rainha Victoria, o Hampton Court Palace atrai milhares de visitantes todos os anos.

O palácio é super bem preservado e mantém mobiliários, tapeçarias e pinturas da época que era ocupado pela monarquia.

Durante a visita é possível explorar os Apartamentos de Estado, quartos reais, galerias, a Capela Real e o grande salão medieval.

Audio guides estão incluídos no valor do ingresso e vale a pena pegar um para aprender um pouco mais sobre o local.

INFORMAÇÕES

Hampton Court Palace | East Molesey | Surrey | KT8 9AU

diariamente, das 10h às 18h

a partir de £19,10 (adultos) | £9,60 (crianças de 5 a 15 anos)

Compre seu ingresso prioritário aqui.

 

Você também pode optar por uma das excursões privadas até o Hampton Court Palace. Clique aqui para saber mais.

Trens saem da estação Waterloo, em Londres, a cada 30 minutos, para Hampton Court.

Para checar os valores e horários, visite o site da National Rail.